Postado na Categoria:

Elizabeth Bathory - A Condessa Sangrenta

Olá pessoal! Que saudadinha de vocês! :3

Bom, esse mês quase não tivemos posts por aqui, tá uma correria louca e por isso estava difícil de parar para escrever aqui!
Para quem não sabe, temos mais dois blogs (o Blog Viiish e o Minezeiros) e além disso o Blog Viiish Channel ativo.
Se for contar os canais que estão parados, ainda temos o Canal Coisa Insana e o Canal Minezeiros (coisa pacas para tomar conta!)

Aproveito para pedir para você sair curtindo, se inscrevendo e conhecendo os nossos outros conteúdos, você vai gostar ;)

Mas bora para o post pessoal!

Lembram que no post dos tipos de tortura (clica aqui para ver o post) eu falei que tinha uma pessoa que eu queria fazer um post específico dela? Chegou esse dia!

Esta é a moça!
A moça simpática de quem eu quero falar é a Báthory Erzsébet, que podemos chamar como Elizabeth Bathory ou até como Isabel Bathory! Todos esses nomes são aceitos...
Quer um pouco mais de intimidade? Tudo bem, ela é conhecida também como a Condessa Sangrenta ou Condessa Drácula.

Pelos apelidos, vocês já imaginam que a moça era um amorzinho né? Mas aí que está: Ela era uma nobre extremamente inteligente: falava Húngaro, Alemão e Latim fluentemente, deixava muitos homens poderosos da época no chinelo, tinha muita beleza e segundo relatos, era uma ótima mãe e esposa!

Masssss, nem tudo são flores. Vamos contar de forma resumida parte da vida da Condessa aqui! Existem relatos muito mais detalhados na internet, vocês podem pesquisar mais se curtirem o assunto!

Tudo começa na infância, há historias que dizem que um grupo de rebeldes atacou o castelo onde a família Bathory morava. Elizabeth e suas duas irmãs foram perseguidas na floresta e somente ela conseguiu se esconder dos agressores. O problema foi que ela teve que ver do seu esconderijo as duas irmãs serem torturadas, violentadas e mortas.
Dizem que o sadismo dela começou a se manifestar no ódio retido deste evento, mas não pense que ela tinha algum problema mental! Ela sempre foi ótima mentalmente e como eu já disse, um exemplo acadêmico e na alta sociedade.

Por sua valia como esposa, ela ficou noiva cedo do Conde Ferenc Nádasdy, massss a safadinha ficou grávida de um camponês com 14 anos.
Para resolver a questão, quando a gravidez ficou aparente ela se escondeu até dar a luz a uma menina, chamada Anastacia (acho esse nome bonito demais). A teoria mais forte em relação a Anastacia é que ela foi dada a um casal de camponeses que foram pagos pela familia Bathory para fugirem da região com a criança.

Castelinho da Bathory

O Conde era um militar e, após o casamento, ficava mais ausente que presente no castelo, mas quando estava na companhia de Elizabeth, ensinava a ela técnicas de tortura usando subordinados que não seguiam as suas ordens, e é aí que o sadismo dela perdeu o controle!

O marido dela ficava muito ausente, mas não fazia ideia das atrocidades que a Condessa fazia na sua ausência, acreditava ele que ela só realizava estas atividades cruéis quando ele estava junto.

Bathory tinha criado praticamente um vício pela tortura! Usava todos os servos que não atendiam suas necessidades como alvos e até criava situações para que pudesse culpá-los e então torturá-los.

Há relatos que ela abriu a boca de uma das suas criadas até o maxilar quebrar e os cantos da boca rasgarem!

Três dos métodos de tortura mais utiliados:

 - Colocar agulhas por debaixo das unhas do torturado (me dá agonia só de imaginar)
 - No inverno, deixava o torturado sem roupas na neve e ia, de tempos em tempos, banhando dos pés a cabeça com água gelada, até que ele morrece de frio.
 - Já no verão, prendia o servo em um ferro quente e bezuntava de mel, deixando com que os insetos comessem o coitado vivo (esse método já havia mencionado lá no post sobre tortura).

Nisso a vida seguiu, ela teve mais 2 filhas, até que o Conde faleceu. Com a perda do marido, Bathory foi morar em Viena, e estreitou laços com uma mulher chamada Anna Darvulia, que especulava-se ser uma alquimista, preaticante de magia negra e essas coisas.
Como a Condessa era assumidamente bisexual, há possibilidades desta mulher ser uma amante que ajudava Bathory nos seus atos brutais e sádicos.

Com o tempo, a Condessa começou a ser cada vez mais descuidada nos seus ataques, até que um dia ela matou uma jovem Nobre e para se safar, alegou que a garota havia cometido suicídio.

Não deu muito certo, após julgamento, ela foi declarada culpada e alguns servos dela (que a ajudavam a encobrir as mortes) foram condenados à morte.
De forma impressionante, a prova que acusara Elizabeth foi um livro onde ela registrou pelo menos 650 (!!!) nomes das vítimas que ela matou ao longo dos anos.

A Condessa foi presa no seu próprio castelo, em uma sala sem portas nem janelas, somente com um pequeno buraco para passagem de ar e de comida. Ela morreu 4 anos depois.

De forma resumida galera, é essa a história de uma das mulheres mais sádicas que eu já houvi falar! Mas eu ainda não expliquei um fato: Por que Condessa Drácula?

Havia uma lenda que dizia que, ao ter seu cabelo penteado, a serva sem querer puxou suas madeixas. Ela ficou tão furiosa que matou a criada espancando-a! Ao fim do ato, ela percebeu que algumas gotas de sangue clarearam sua pele...
Com isso, ela matava e se banhava com o sangue de suas vítimas para se manter sempre jovem (eita! O.o). Por isso do apelido carinhoso de Condessa Drácula.

Banhinho gostoso e quentinho :3

Espero que tenham gostado da história, se quiserem que o blog fale sobre algum assunto, a caixa de comentários é de vocês!

Um abraço e até a próxima! :D